quarta-feira, abril 04, 2007

Percepção

Há uns três meses o Jornal do Commercio - um dos maiores jornais pernambucanos, se não o maior, fez uma campanha se ultilizando dos principais veículos de massa: outdoor, outbus, anúncio de jornal - é claro -, internet, etc. A campanha tinha um grafismo diferente e falava bastante na liderança do jornal. Veja algumas das diversas peças veiculadas.















































Pois bem. Domingo passado vi alguns outdoors e top lights que se ultilizavam do mesmo conceito de liderança e ainda me lembravam o mesmo grafismo. Como vi um jornal na mão do "bonequinho" jurava que era a mesma campanha do JC. Entretanto, só hoje notei que as peças promovem a Folha de Pernambuco - concorrente do JC.

E fiquei me questionando: "caramba, na minha cabeça de publicitário viciado que acompanho de perto todas as campanhas, poderia jurar que aquilo era uma iniciativa do JC. Será que o consumidor que tem um olhar bem menos crítico não está pensando o mesmo? Será que até agora a campanha da Folha não está provendo o Jornal do Commercio?" Bom, essa foi a minha percepção inicial e trago aqui pra gente discutir.

É claro que temos que levar em conta que sou um leitor do JC e não da Folha, que entro pelo menos uma vez por dia no JC on-line, que vejo o JC fazer uma ação de marketing em todo evento destinado à nossa profissão, etc. Mas de qualquer forma fica o registro da minha humilde percepção e vamos opinar.

Marcadores:

5 Comments:

At 9:04 AM, Anonymous Anônimo said...

Cara, o q uma campanha tem a ver com a outra? Forçou, hein?!

 
At 9:22 AM, Anonymous Leonardo Araújo said...

Bom, as campanhas podem até ter o mesmo grafismo vasado de algumas imagens. No caso do JC as ilustrações e no caso da Folha a palavra Líder, mas não acho que são assim tão parecidas não. Claro que a da Folha pode, eu disse pode, ter se aproveitado da do JC para "pongar" na lembrança, mas isso é algo que nunca saberemos.

O melhor mesmo é filtrar isso daí e comparar as duas. Fazendo isso eu fico com a do JC, muito mais redonda e inteligente.

PS.: Vai ganhar um link em meu blog.

Abraços,
Leonardo Araújo
www.leonaraujo.com

 
At 10:17 AM, Blogger Anna Terra said...

Pois é Thiago, eu já havia notado a semelhança das duas campanhas na rua. Não sei se a Folha estaria "promovendo" o JC, já que dá pra perceber a diferença no nível das campanhas, mas acho que a Folha realmente tratou do assunto de uma forma, digamos, no mínimo "inspirada" na campanha que a RGA fez para o JC.

Eu já escutei várias vezes que "a melhor forma de elogiar, é copiar", mas nesse caso acho que o JC não se sentiu tão elogiado assim..

Fica em paz.

 
At 6:02 PM, Blogger Thiago Nascimento said...

Anônimo, Leonardo e Ana, valeu pela participação.

Anônimo, acredito que é um lance muito mais cognitivo da minha parte mesmo. Tenho em mente que o JC é líder e ponto. E como a Folha usou-se deste argumento, a associação foi direta. Para completar, acho as ilustras com traços parecidos. Contudo, não quero dizer que a execução das campanhas são idênticas; e sim que o conceito juntamente com as ilustras e consequentemente a peça estavam me lembrando a campanha do JC. E aqui me ponho no lugar do consumidor, porque foi essa a percepção que tive de verdade quando vi as peças na rua.

Valeu!

 
At 11:27 AM, Anonymous Anônimo said...

Gente, acho q esquecemos o público-alvo de cada campanha. É sabido que o JC é destinado ao público A/B e a Folha, por sua vez, ao C/D. Portanto, não dá pra comparar uma campanha que usa rimas nem tão populares (como a do JC) com outra de decodificação mais imediata. Não acho que devamos desmerecer nenhuma das duas, pois cada uma tem o seu lugar e papel. Essa é a minha humilde opinião.

 

Postar um comentário

<< Home

Google